CONTEÚDO
Artigos e Formações
20.Jan - A palavra que regula o mundo
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
A palavra que regula o mundo

Meus amados irmãos e irmãs no Cristo, Verbo de Deus, paz a vós!


Estamos caminhando nas estradas da vida, de mãos dadas com a fé, esperança e na caridade, afinal, queremos ser um povo ativo nos valores e na prática da vida nova do cristão, pois com isso é que poderemos ter expectativa de eternidade, habitar no novo céu e na terra nova. Em setembro é práxis lembrar e celebrar a Palavra de Deus.


Um dos documentos do Concílio Vaticano II – que aliás estamos celebrando 50 anos do Concílio - é sobre a Bíblia, o documento Dei Verbum. Um dos capítulos fala tão profundamente sobre a importância da vivência e da escuta da Palavra,  que assim se expressa: “Nos Livros Sagrados , com efeito, o Pai que está nos céus vem carinhosamente ao encontro de seus filhos e com eles fala. E é tão grande a força poderosa que se encerra na Palavra de Deus, que ela constitui sustentáculo vigoroso para a Igreja, firmeza na fé para seus filhos, alimento da alma, perene e pura fonte da vida espiritual. Por tudo isso, aplica-se perfeitamente à Sagrada Escritura estas palavras: A palavra de Deus é viva e eficaz (Hebreus 4, 12), poderosa para edificar e repartir a herança entre os santificados (Atos 20, 32; I Tess 2, 13).” Deste capítulo 21 da Dei Verbum, pulamos ao capítulo 25, que assim nos aconselha: “Porquanto ignorar as  Escrituras é ignorar Cristo.


Lembrem-se, porém que a leitura da Sagrada Escritura deve ser acompanhada pela oração, a fim de que se estabeleça um colóquio entre Deus e o homem. Pois com Ele falamos quando rezamos, a Ele ouvimos quando lemos os divinos oráculos. Que os filhos e filhas da Igreja se familiarizem, segura e utilmente, com as Sagradas Escrituras, e de seu espírito fiquem imbuídos.” Por isso aqui na Diocese se valoriza tanto os Grupos Bíblicos de Reflexão, pois eles vêm acrescentar à Igreja, uma forma nova de vivenciar e meditar, lendo, a Palavra de Deus, que na linguagem paulina é viva e eficaz, penetrante, como uma espada de dois gumes. Eu, neste instante trago à memória a minha família; como é importante ter uma base sólida. Apesar que eu não vivia tão bem o convite à conversão, no entanto na minha família, a Palavra de Deus ocupava um espaço importante. Tínhamos a Escritura em mãos e podíamos lê-la quotidianamente. Meu pai, um catarinense criado no Paraná, com minha mãe, eram pessoas simples, mas pessoas de um valor profundo. Pessoas que sempre estavam dispostas a ajudar ao próximo; lá em casa desde o colo, rezámos o santo Terço, uma oração bíblica e pedida por Maria Santíssima, nas suas seis aparições em Fátima. Uma família focada em trabalhar e rezar. Meu pai um homem trabalhador e de fé, que até hoje continua, no auge de seus 92 anos rezando o Terço e participando diariamente da Missa pela televisão. Minha mãe, que partiu a cinco anos, praticamente vivia com o Terço nas mãos, e hoje com certeza está na presença da Imaculada, a Virgem Maria.


Queridos pais, não deixemos de dar bons exemplos aos filhos e filhas, as boas marcas sempre ficarão impregnados na memória e na nossa história. O céu e a terra passarão, mas as minhas Palavras jamais passarão, nos prometeu Jesus. A Palavra de Deus permanece eternamente. Fiquemos com Deus. Vivamos com Deus. Morando na amizade de Deus aqui, assim conseguiremos depois desta jornada humana passageira, morar com Deus e Maria Santíssima, nos Céus, pois é lá que eu quero morar, como dizia  Dunga: “O meu lugar é o Céu, é lá que eu quero morar”! “O Paraíso é uma casa que se constrói nesta vida e se habita na outra!” (Chiara Lubich)


Indique a um amigo
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2017 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.