PARÓQUIAS
Paróquia Nossa Senhora do Rosário | Nereu Ramos
 
A Paróquia
Paróquia Nossa Senhora do Rosário | Nereu Ramos

A história da comunidade católica de Nereu Ramos (chamada inicialmente de Ribeirão do Cavallo, posteriormente Retorcida, quando ao final da década de 30 foi adotada a denominação atual), bairro do município de Jaraguá do Sul (SC), remonta ao ano de 1898, com a chegada dos pioneiros. Esses migraram de outras localidades catarinenses, tais como Rio dos Cedros, Rodeio e Nova Trento. Em sua maioria eram originários da região do Trentino (antigo Tirol Meridional), pertencente ao então Império Austro-húngaro, mais tarde anexado à Itália. Posteriormente, vieram também famílias provenientes de outras regiões italianas, bem como de demais etnias.
Os primeiros colonizadores edificaram, no alto de um morro, uma capelinha de madeira, dedicada à Nossa Senhora do Rosário. O atendimento pastoral era realizado por sacerdotes franciscanos, que vinham regularmente da Paróquia São Francisco de Assis, de Rodeio (SC), percorrendo as matas no lombo de um cavalo. Posteriormente, a assistência passou para os sacerdotes diocesanos (então Diocese de Florianópolis), da Paróquia São Francisco Xavier, de Joinville (SC). E, a partir de 1911, permanecendo até a atualidade, aos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos), inicialmente da Paróquia Santa Emília (mais tarde São Sebastião), de Jaraguá.
No ano de 1918 foi inaugurada a segunda capela católica da localidade. Comportava cerca de 150 pessoas e era em alvenaria. Situava-se também no alto de um morro, nas imediações da primeira, tendo aos fundos o cemitério. A partir de 1928, o atendimento pastoral passou a ser realizado pelos sacerdotes da Paróquia São José, de Hansa Humboldt (Corupá), destacando-se o Padre Vicente Schmitz SCJ, o seu primeiro pároco.
Na data de 1o de dezembro de 1941, foi nomeado um novo pároco para Corupá: era o Padre Antônio Echelmeyer SCJ, sacerdote alemão, recém-ordenado. Ao visitar a Capela Nossa Senhora do Rosário constituiu uma sólida e profunda amizade com aquele bom povo; tanto que, em meados de 1944, lançou o ideal da construção do terceiro e atual templo católico de Nereu Ramos. De 1947 a 1952, as famílias, sob a liderança de Padre Antônio Echelmeyer, se empenharam muito nas obras de edificação. É necessário citar que, com o povo, Padre Antônio enfrentava todo o tipo de trabalho árduo, como, por exemplo, embrenhar-se no mato para o corte de madeira para a construção do templo.
A festa da pedra fundamental ocorreu em 15 de agosto de 1947, contando com a presença de Dom Pio de Freitas Silveira, então Bispo Diocesano de Joinville. A planta foi trazida da Alemanha, pelo próprio Padre Antônio. Escolheu-se um terreno plano e centralizado. Além de toda a ajuda financeira obtida na comunidade e região, é necessário citar que a família Echelmeyer, da Alemanha, remeteu muitos valores financeiros para os gastos da obra e necessidades posteriores.
Inaugurada no dia 15 de agosto de 1952, a capela foi elevada ao título de “Curato Nossa Senhora do Rosário” e Padre Antônio Echelmeyer foi nomeado “cura” (vigário), passando, então, a residir na comunidade. Com sua transferência para Lavras (MG), em fevereiro de 1958, Padre Francisco Demann SCJ passou a ser o responsável pelo atendimento pastoral.
Através de um abaixo-assinado organizado pelo povo de Nereu Ramos, o qual foi atendido pelo então superior provincial da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, Padre José Schmitt, Padre Antônio Echelmeyer retornou a Nereu Ramos em fevereiro de 1962, permanecendo, ininterruptamente, até o seu falecimento na Sexta-feira Santa, dia 5 de abril de 1985. Seus restos mortais repousam num mausoléu no interior da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário. São, também, obras suas: Patronato Sagrado Coração de Jesus, que funcionou como ambulatório e maternidade (posteriormente casa de retiros Centro Shalom e atualmente sede do Instituto Padre Aloísio) e Salão Paroquial, ambos em Nereu Ramos. Além de toda a parte nova e capela do Seminário Sagrado Coração de Jesus, de Corupá (SC); bem como o Hospital São José e o Colégio Divina Providência, no Centro de Jaraguá do Sul. Ainda, é necessário citar que Padre Antônio Echelmeyer faleceu com 71 anos de idade e 44 anos de sacerdócio; desses, apenas por cerca de quatro anos atuou em outras localidades e o restante, 40 anos, os viveu na região de Nereu Ramos.
Com o seu falecimento em 1985, assumiu os cuidados pastorais do Curato Nossa Senhora do Rosário o Padre Aloísio Boeing SCJ, o qual já residia no Centro Shalom, desde 1983. Muito procurado para bênçãos e aconselhamentos, tanto religiosos como familiares, faleceu na data de 17 de abril de 2006, com a idade de 92 anos, sendo sepultado no jardim lateral da Igreja Matriz Nossa Senhora do Rosário e, desde o sepultamento, seu túmulo tornou-se um lugar de peregrinação e de oração. No dia 17 de maio de 2013 foi aberto oficialmente o processo de beatificação do Servo de Deus Padre Aloísio Sebastião Boeing. Mensalmente, no dia 17, lembrando o seu falecimento, Missas são celebradas.
Durante alguns meses do ano de 2004, Padre Geraldo Kohler SCJ realizou diversas atividades na comunidade, auxiliando o Padre Aloísio Boeing na pastoral. Posteriormente, atuaram em Nereu Ramos os sacerdotes: Padre Eloi Comper SCJ e Padre Irmundo Rafael Stein SCJ, o qual coordenou a reforma da Igreja Nossa Senhora do Rosário, em 2008.
Após 57 anos da criação do Curato, o mesmo foi elevado à condição de Paróquia, na data de 15 de fevereiro de 2009, por Dom Irineu Roque Scherer, então Bispo Diocesano de Joinville. A Igreja Nossa Senhora do Rosário passou a ser Matriz, com as seguintes capelas: Santo Antônio (Bairro Santo Antônio), São Roque (Três Rios do Norte), Nossa Senhora Aparecida (Ribeirão Grande do Norte), Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (Tifa dos Monos), Sagrada Família (Braço do Ribeirão Cavalo) e Santa Luzia (Vila Machado). A sequência de párocos, até a atualidade, é a sequinte: Padre Donizeti Queiroz SCJ, Padre Lindolfo Neves Braga SCJ, Padre Itamar José Zigowski SCJ, Padre Maurídio Weber SCJ e Padre Jair Rodrigues Costa SCJ.
Ainda, não podemos deixar de mencionar as religiosas que viveram e atuaram em Nereu Ramos: Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Amparo (1960 a 1966), Irmãs Catequistas Franciscanas (1968 a 1970 – 1980 a 1982) e Irmãzinhas da Fraternidade Mariana do Coração de Jesus (1982 até a atualidade).

 
O Padroeiro
O Padroeiro

Esta festa foi instituída pelo Papa Pio V em 1571, quando celebrou-se a vitória dos cristãos na batalha naval de Lepanto. Nesta batalha os cristãos católicos, em meio a recitação do Rosário, resistiram aos ataques dos turcos otomanos vencendo-os em combate.

A celebração de hoje convida-nos à meditação dos Mistérios de Cristo, os quais nos guiam à Encarnação, Paixão, Morte e Ressurreição do Filho de Deus.

A origem do Rosário é muito antiga, pois conta-se que os monges anacoretas usavam pedrinhas para contar o número das orações vocais. Desta forma, nos conventos medievais, os irmãos leigos dispensados da recitação do Saltério (pela pouca familiaridade com o latim), completavam suas práticas de piedade com a recitação de Pai-Nossos e, para a contagem, o Doutor da Igreja São Beda, o Venerável (séc. VII-VIII), havia sugerido a adoção de vários grãos enfiados em um barbante.

Na história também encontramos Maria que apareceu a São Domingos e indicou-lhe o Rosário como potente arma para a conversão: “Quero que saiba que, a principal peça de combate, tem sido sempre o Saltério Angélico (Rosário) que é a pedra fundamental do Novo Testamento. Assim quero que alcances estas almas endurecidas e as conquiste para Deus, com a oração do meu Saltério”.

Essa devoção, propagada principalmente pelos filhos de São Domingos, recebe da Igreja a melhor aprovação e foi enriquecida por muitas indulgências. Essa grinalda de 200 rosas – por isso Rosário – é rezado praticamente em todas as línguas, e o saudoso Papa João Paulo II e tantos outros Papas que o precederam recomendaram esta singela e poderosa oração, com a qual, por intercessão da Virgem Maria, alcançamos muitas graças de Jesus, como nos ensina a própria Virgem Santíssima em todas as suas aparições.

Nossa Senhora do Rosário, rogai por nós!

 

Horários

MISSA
  • Quartas-feiras: 15h
  • Terças, quintas, sextas e sábados: 19h
  • Domingos: 9h30min
  • Mensalmente, no dia 17, acontecem as Missas pela Beatificação do Servo de Deus Padre Aloísio Sebastião Boeing às 15h e às 20h.
 
ATENDIMENTO
 

Contato

(47) 3276-1002
 
 
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2018 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.