PARÓQUIAS
Paróquia Santa Luzia | Paranaguamirim
 
A Paróquia
Paróquia Santa Luzia | Paranaguamirim

O início da igreja Santa Luzia comporta vários acontecimentos que levou nossos fundadores a darem este passa de fé. Um primeiro e principal fator foi a fé da comunidade que, como filhos que tem sede de Deus, acolheram os sinais de Amor que Jesus vinha manifestando entre eles. Contudo, um acontecimento interessante que ajudou a despertar a consciência da necessidade de uma nova comunidade foi o fato de se ter realizado um retiro de jovens no Paranaguamirim, por meio da então capela Nossa Senhora de Fátima. Como a movimentação da fé ia contagiando as pessoas, as amigas, Carmelita Rech, Iracema da Maia entre outras, propuseram à senhora Beatriz Voss, diretora do Colégio Ada Sant’anna, a possibilidade de realizar uma missa na escola. A Missa aconteceu e ao final da celebração Pe Geraldo manifestou grande alegria e convocou aquelas pessoas a iniciarem uma comunidade no bairro. Senhor Lino Rech se propôs a doar o terreno para a futura construção da capela e dentro de poucos dias alguns homens confeccionaram uma cruz de madeira e a conduziram ao pátio do colégio onde o padre abençoou-a e naquele momento grande emoção envolveu as pessoas que ali se encontravam. A cruz foi levada até o terreno destinado à construção e erguida naquele local.

Desde então os encaminhamentos mostravam que a proposta do Pe Geraldo veio ao encontro da fé que já despertara anteriormente nos corações e o fato já se transformava num sonho a caminho de sua realização. Também houve no colégio um retiro de jovens que ajudou a impulsionar à fundação, bem como uma conversa entre os amigos: Lino Rech, Daniel Bramorski e Nicanor Rosa que conversaram seriamente sobre o assunto. Estes e outros fatores foram somando forças que contribuíam para o projeto da igreja Santa Luzia. Assim como, muitas outras pessoas não relatadas aqui, e que são inúmeras, também contribuíram nesta obra que é fruto da graça do Espírito de Deus e da caridade fraterna.

Na época, os padres que atendiam a região pertenciam à congregação dos Dehonianos e estavam instalados na paróquia Sagrado Coração de Jesus no bairro Bucareim. Pe Geraldo (hoje bispo) enviou o Pe Carmo (hoje bispo de Taubaté SP) com a finalidade de constituir uma diretoria. Padre Carmo mobilizou algumas pessoas e no dia 24 de Abril de 1976 acontecia a primeira reunião e o marco histórico do nascimento da comunidade Santa Luzia.

A origem do nome Santa Luzia se refere a história de que Dona Carmelita, esposa do sr. Lino Rech, fez uma promessa a Santa Luzia pois estava perdendo a visão. Tendo recebido por intercessão da Santa, a graça que pedira, incentivou seu esposo a doar o terreno que seria destinado à construção da capela à qual seria confiado a Santa Luzia como padroeira da comunidade que nascia.

A partir de então houve muito entusiasmo e mobilização de festas, rifas, bingo em prol da construção de um local onde pudessem realizar as celebrações. Os missionários do dízimo visitavam as casas motivando as famílias à participarem e contribuírem com a comunidade.

Devido ao acontecimento das primeiras missões foi construído um galpão onde pudesse reunir o povo. Houve trinta dias de novena de preparação para as missões que permaneceram por uma semana.Também a vida pastoral da comunidade se desenvolveu com êxito. As irmãs catequistas franciscanas, que já atuavam na região com a formação e visitas, neste tempo se aplicaram mais diretamente para o bom desenvolvimento da vida de fé em nossa localidade. Além disso, não faltaram pessoas disponíveis para assumirem como catequistas, animadores de cantos e voluntários de todas as formas.
No dia 12 de Dezembro de 1977 foi lançada a pedra fundamental da primeira Capela, na época ainda pertencendo à paróquia do Sagrado Coração de Jesus. Sendo Papa S. S. Paulo VI, e bispo diocesano, Dom Gregório Warmeling. Após muito trabalho, partilha e orações, com a graça de Deus, foi construída a primeira capela da comunidade.

Passaram-se alguns anos e apareceu a necessidade de um local maior onde pudesse ser realizado as festas e encontros diversos que a comunidade promovia. Foi então construído um galpão com a finalidade de atender as diversas necessidades (atual centro de pastoral).

Em 2000 a comunidade que pertencia a Paróquia Nossa Senhora de Fátima passa a ser Setor Santa Luzia. Neste período vendo que a igreja se encontrava em condições precárias e já não havia mais condições de permanecer por muito mais tempo realizando as celebrações no local, foi então convocada uma reunião. A partir deste momento deu-se o início da construção da igreja atual. No período da construção as celebrações eram realizadas no centro de pastoral.

No dia 29 de junho de 2008 o setor Santa Luzia é elevado a condição de paróquia e o bispo diocesano dom Irineu Roque Scherer nomeia como paróco, padre Inácio Benedito Giacomelli.

 
O Padroeiro
O Padroeiro

Protetora dos olhos e da visão

Santa Luzia pertencia a uma rica família de Siracusa, na Itália, tendo recebido ótima formação cristã, ao ponto de Luzia ter feito um voto de viver virgindade perpétua. Com a morte do pai, Luzia soube que sua mãe a queria casada com um jovem de distinta família, porém pagão.

Nessa ocasião, sua mãe adoece gravemente e Luzia, que era devota de Santa Águeda, leva sua mãe à tumba da santa. Milagrosamente, sua mãe recupera a saúde e acaba concordando que a filha seguisse a vida que escolhera, consentindo também, que distribuísse seu rico dote entre os pobres.

O noivo rejeitado vingou-se, entregando Luzia como cristã ao procônsul. Este ameaçou Luzia de colocá-la no prostíbulo e sua resposta foi: "O corpo se contamina se a alma consente". Assim sendo, dezenas de soldados tentaram carregá-la, mas o corpo de Luzia pesava muito, nada conseguindo. Contam que enquanto estava presa, arrancaram-lhe os olhos, mas no dia seguinte estavam novamente perfeitos. Por este milagre é que ela é venerada como protetora dos olhos.

Santa Luzia, não querendo oferecer sacrifício ao deuses e nem quebrar o seu santo voto, foi decapitada em 303, para assim testemunhar com a vida - ou morte - o que disse: "Adoro a um só Deus verdadeiro, e a ele prometi amor e fidelidade".

 

Horários

MISSA
  • Matriz | Missa da RCC | 1ª Quarta-feira do Mês | 19h30
  • Matriz | Quinta-feira | 19h30
  • Matriz | Honra Santa Luzia | Todo dia 13 | 19h30
  • Matriz | Sábado | 19h30
  • Matriz | Domingo | 8h - 18h
 
ATENDIMENTO
  • Matriz | Segunda-feira | 13h30 às 17h30
  • Matriz | Terça à Sexta-feira | 8h às 12h - 13h30 às 17h30
  • Matriz | Sábado | 8h às 12h
 

Contato

Telefone: (47) 3438-3417
 
 
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2018 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.