PARÓQUIAS
Paróquia São Francisco de Assis | Adhemar Garcia
 
A Paróquia
Paróquia São Francisco de Assis | Adhemar Garcia

Em fevereiro deste ano a Comunidade São Francisco de Assis, do bairro Adhemar Garcia, em Joinville/SC, passou a compor o quadro de paróquias da Diocese de Joinville. Fundada no ano de 1986, a comunidade nasceu pelo esforço dos fiéis que desejavam ter uma igreja no bairro. A paróquia conta hoje, além da matriz, com mais três comunidades: Santa Paulina, Nossa Senhora do Carmo/São José Operário e Santa Isabel.
No início as celebrações eram realizadas nas casas dos moradores da região. Após a criação da primeira diretoria da comunidade, as missas passaram a ser celebradas no centro comunitário do bairro durante dois anos. Em 1988 surgiu a primeira associação de moradores, segundo o coordenador paroquial, Nilton José Batista Rodrigues, a nova diretoria da associação não permitiu mais que o centro comunitário fosse utilizado para as celebrações. Com a não utilização do centro, os fiéis passaram a utilizar as dependências de um antigo mercado para a realização das missas.
Com necessidade de ter um local fixo para a realização das missas, a ideia de se comprar um terreno se tornou uma necessidade. Na época, a diretoria conversou com o então prefeito Wittich Freitag, porém não obtiveram êxito para conseguir um local. Ao conversarem com um vizinho do atual terreno da paróquia, o mesmo aceitou vender o terreno por um preço acessível.
Com o passar os anos, a comunidade cresceu e, aos poucos, a igreja foi sendo estruturada. Foram promovidas festas e bingos, para ajudar na estruturação da igreja. Após a aquisição do terreno, foi feita sua limpeza. A lenha que se encontrava no local, foi vendida para comprar os tijolos, que foram utilizados para construir a primeira capela. A missa de inauguração da comunidade ocorreu no dia 9 de outubro de 1988.
Padroeiro
A escolha pelo nome de São Francisco de Assis se deu em uma missa celebrada em frente ao centro comunitário. O primeiro presidente da comunidade, Valdir Alves, que havia sido seminarista franciscano foi quem indicou o nome do padroeiro. O pároco e a comunidade aprovaram a ideia e assim ficou decidido.

Centro de Pastoral
O Centro de Pastoral foi uma grande conquista da comunidade. Sua pedra fundamental foi lançada em 2005, pelo então bispo diocesano Dom Orlando Brandes, pelo pároco Vilcinei Clarindo e, também, pelo coordenador paroquial, Nilton Rodrigues. “Foi uma batalha grande, devido às condições financeiras da comunidade, todos os trabalhos e projetos foram feitos dentro das normas e aprovado pela mitra diocesana”, diz o coordenador.
Entre os anos de 2005 e 2009, o Centro de Pastoral ganhou forma. Ele foi erguido, coberto e a cozinha comunitária foi construída. No decorrer dos anos, as obras no centro continuaram e até 2011, as salas de catequese, auditório e outras dependências do piso superior foram terminadas. Segundo o coordenador paroquial, ainda faltam mais 11m2 para serem construídos. “Tivemos que parar as obras, porque a igreja estava ficando muito para trás, o Centro de Pastoral estava aparecendo mais que a paróquia, então houve a necessidade de recuperação da igreja”, explica.
Em março de 2011, a obra entrou nos processos finais de construção, a parte interna ganhou forros, pisos e cadeiras, além da rampa de acesso, construída dentro das normas de acessibilidade. Ainda não se tem uma data para o término das obras, pois a parte externa ainda precisa ser finalizada. “O projeto ficaria pronto em dez anos, porém extrapolamos o prazo devido à reestruturação da igreja. Mas a gente se sente satisfeito pela ajuda da comunidade, pois na época não tínhamos dinheiro. Foi uma estrutura muito bem feita, tudo dentro do projeto”, afirma Nilton.
Paróquia hoje
A paróquia possui atualmente, 30 pastorais e movimentos ativos. De acordo com o coordenador paroquial, as pastorais que são prioridade para este ano, como: os Grupos Bíblicos de Reflexão, a Pastoral Familiar e a Pastoral da Juventude. “Estamos dando, também, bastante enfoque para as missões que irão ocorrer em nossa paróquia e nas comunidades no mês de julho”, diz. Ainda segundo ele, as missões serão encerradas perto da festa do padroeiro que ocorre no mês de outubro. “Todas as pastorais são bem fortificadas. Nossa juventude é bem ativa e a Pastoral do Dízimo também é bastante aplicada. Sempre procuramos manter a união das pastorais e das comunidades, padre Dalcio tem trabalhado muito este sentido. Tem que ter união em tudo o que fazemos”.
A paróquia está passando por reformas desde 2013. A primeira se iniciou em julho de 2013 com a mudança do presbitério, construção da capela do santíssimo, colocação das novas janelas e portas, pintura da igreja, colocação de novo forro, além de nova rede elétrica. No ano passado, para a climatização da igreja, foram instalados ar-condicionados. Neste ano, está sendo reestruturada a parte da frente, onde ainda falta ser pintado ícone.

 
O Padroeiro
O Padroeiro

Francisco nasceu em Assis, na Úmbria (Itália) em 1182. Jovem orgulhoso, vaidoso e rico, que se tornou o mais italiano dos santos e o mais santo dos italianos. Com 24 anos, renunciou a toda riqueza para desposar a “Senhora Pobreza”.

Aconteceu que Francisco foi para a guerra como cavaleiro, mas doente ouviu e obedeceu a voz do Patrão que lhe dizia: “Francisco, a quem é melhor servir, ao amo ou ao criado?”. Ele respondeu que ao amo. “Porque, então, transformas o amo em criado?”, replicou a voz. No início de sua conversão, foi como peregrino a Roma, vivendo como eremita e na solidão, quando recebeu a ordem do Santo Cristo na igrejinha de São Damião: “Vai restaurar minha igreja, que está em ruínas”.

Partindo em missão de paz e bem, seguiu com perfeita alegria o Cristo pobre, casto e obediente. No campo de Assis havia uma ermida de Nossa Senhora chamada Porciúncula. Este foi o lugar predileto de Francisco e dos seus companheiros, pois na Primavera do ano de 1200 já não estava só; tinham-se unido a ele alguns valentes que pediam também esmola, trabalhavam no campo, pregavam, visitavam e consolavam os doentes. A partir daí, Francisco dedica-se a viagens missionárias: Roma, Chipre, Egito, Síria… Peregrinando até aos Lugares Santos. Quando voltou à Itália, em 1220, encontrou a Fraternidade dividida. Parte dos Frades não compreendia a simplicidade do Evangelho.

Em 1223, foi a Roma e obteve a aprovação mais solene da Regra, como ato culminante da sua vida. Na última etapa de sua vida, recebeu no Monte Alverne os estigmas de Cristo, em 1224.

Já enfraquecido por tanta penitência e cego por chorar pelo amor que não é amado, São Francisco de Assis, na igreja de São Damião, encontra-se rodeado pelos seus filhos espirituais e assim, recita ao mundo o cântico das criaturas. O seráfico pai, São Francisco de Assis, retira-se então para a Porciúncula, onde morre deitado nas humildes cinzas a 3 de outubro de 1226. Passados dois anos incompletos, a 16 de julho de 1228, o Pobrezinho de Assis era canonizado por Gregório IX.

São Francisco de Assis, rogai por nós!

 

Horários

MISSA
  • Matriz | Quinta-feira | 19h30
  • Matriz | Honra ao Sagrado Coração de Jesus             1ª Sexta-feira do mês | 18h30
  • Matriz | Sábado | 19h30
  • Matriz | Domingo | 8h e 18h
 
ATENDIMENTO
  • Matriz | Segunda-feira | 13h30 às 17h30
  • Matriz | Terça à sexta-feira | 8h - 12h | 13h30 - 17h30
  • Matriz | Sábado | 8h - 12h
 

Contato

(47) 3426-3823
 
 
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2018 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.