PARÓQUIAS
Paróquia São Francisco de Assis | Saguaçu
 
A Paróquia
Paróquia São Francisco de Assis | Saguaçu

A história da Paróquia São Francisco de Assis, localizada na Rua Platina, no bairro Saguaçu em Joinville/SC, começou em 1982 com o desejo de esportistas da região em se criar uma comunidade. Mais precisamente no dia 12 de outubro de 1982 foi celebrada a primeira missa pelo Pe. Adriano Cemim. Assim, nascia a comunidade que celebrava suas missas nas casas e suas festas em barracas de lona preta. Ainda em 1982 um terreno recebido da prefeitura serviu para a construção da comunidade. O local abriga hoje o Centro Comunitário da paróquia.
Muitos eventos esportivos foram organizados para angariar fundos para os projetos de construções e, em 1986, deu-se início a construção da Capela São Francisco de Assis em terreno doado por Reinoldo Cemin. Pertencente a Paróquia Santo Antônio, a comunidade contou com ajuda dos padres salesianos e de diversas pessoas da região. Sua construção foi concluída em 1999. Em 2007 a comunidade festejou seus 25 anos de existência e até aquele momento trabalharam na comunidade 17 comissões administrativas e aproximadamente 20 sacerdotes salesianos conduziram a igreja.
Em 2010 a caminhada da comunidade foi coroada por Dom Irineu Roque Scherer com a aprovação e instituição da Paróquia Universitária São Francisco de Assis no dia 25 de julho daquele ano. O primeiro e atual pároco é o Pe. Ivanor Macieski, que teve a missão de acolher com amor e trabalhar para a evangelização. Padre Ivanor diz que a sugestão para que a comunidade virasse paróquia veio de Dom Irineu. “Quando voltei de uma temporada de estudos em Roma, Dom Irineu propôs meu trabalho no Setor de Comunicação da diocese. A ideia inicial era que eu não tivesse nenhuma paróquia. Sugeri a ele que eu atendesse a uma comunidade no final de semana, uma que não fosse tão grande. Dom Irineu teve a ideia então de que essa comunidade se tornasse uma paróquia”, relata Ivanor.
Hoje a paróquia não tem mais o título de universitária e ainda não tem nenhuma capela em sua administração, mas o trabalho de evangelização e amparo à sociedade continua. O padre se diz feliz por poder participar da paróquia. “Me sinto muito bem aqui. É uma comunidade muito unida, generosa, acolhedora, querida e principalmente, participativa”, conta.
Nelson Gomes de Oliveira, 65 anos, participa ao lado de sua esposa, Juraci Gomes de Oliveira, da comunidade há 25 anos e esteve presente no período de migração. “Foi um momento muito esperado por nós. Tínhamos a preocupação em relação às responsabilidades de ser paróquia e se atenderíamos à diocese. Hoje temos certeza que tudo está no caminho certo”, diz Nelson.
Ao virar paróquia iniciou-se a reforma da igreja, tornando-a moderna e com arquitetura contemporânea. Sua reconstrução terminou há dois anos e hoje se encontra na fase final de legalização para os alvarás necessários. Os próximos projetos administrativos devem ser a reforma do salão paroquial, reforma do centro pastoral e revitalização da área multiuso da paróquia que deve servir para lazer e prática de esportes, além de estacionamento para os dias de missa.

Vida Pastoral
Com cerca de 20 pastorais, a Paróquia São Francisco de Assis tem um trabalho de destaque na Pastoral Social que, com um grupo grande de pessoas, organiza brechós, arrecada doações e distribui em paróquias da cidade e em comunidades com nível socioeconômico menor. A Pastoral Familiar também realiza um trabalho importante de curso de noivos, de batismo e de acolhida aos casais da comunidade. Hoje a Pastoral da Catequese é uma das que mais cresce.

Festas Anuais
Tradicionalmente a Paróquia São Francisco de Assis realiza a Festa Junina que acontece sempre na primeira semana de junho. Em outubro, no início do mês, é também realizada a festa do Padroeiro, São Francisco de Assis. Além disso, sempre no dia 4 de outubro, Dia de São Francisco de Assis, é realizada a tradicional Benção dos Animais.

 
O Padroeiro
O Padroeiro

São Francisco nasceu em 1181/1182 em Assis na Itália, foi batizado com o nome de Giovanni di Pietri, mas seu nome foi mudado pouco tempo depois para Francisco, pois seu pai Petri di Bernardone era comerciante e viajava muito a França, mudou o nome do filho em homenagem ao local que fazia bons negócios.

Em 1198 acontece um conflito em Assis, entre a nobreza e os comerciantes. Os nobres se refugiam em Perusa uma pequena cidade próxima de Assis, onde São Francisco ficou preso por um ano até o ano de 1204. Em Perusa também estava a família de Clara.

Ao voltar para Assis, São Francisco doente começa sua conversão gradual, se dedica a dar esmolas e oferece até suas roupas aos pobres, tem visões e começa a desprezar o dinheiro e as coisas mundanas. Até que ele se encontra com um leproso, lhe dá esmola e um beijo, e este acontecimento marcou tanto a vida dele que, dos muitos fatos ocorridos em sua vida, este foi o primeiro que entrou em seu Testamento, "pois o que antes era amargo se converteu em doçura da alma e do corpo".

Outros encontros afirmaram ainda mais a vocação de São Francisco, nas ruínas da igreja São Damião recebeu do crucificado o mandato de restaurar a Igreja. Obediente ao mandato, São Francisco pôs-se logo a trabalhar. Reconstruiu três pequenas igrejas abandonadas: a de São Damião, a de Santa Maria dos Anjos e a de São Pedro.

Seu pai, envergonhado do novo gênero de vida adotado por Francisco, queixou-se ao bispo de Assis da prodigalidade do filho e, diante do prelado, pediu a Francisco que lhe devolvesse o dinheiro gasto com os pobres. A resposta foi a renúncia à vultosa herança: despindo, ali, suas vestes, Francisco exclamou: "... doravante não direi mais pai Bernardone, mas Pai nosso que estás no céu..."

A partir desse momento passa a viver na pobreza, e inicia a ordem franciscana, cresce o número de companheiros, 1209 já são 12. Cria uma regra muito breve e singela, que o papa Inocêncio III aprova em 1210, e cujas diretrizes principais eram pobreza e humildade, surge assim a Fraternidade dos Irmãos Menores, a Primeira Ordem.

No Domingo de Ramos de 1212, uma nobre senhora, chamada Clara de Favarone, foi procurar Francisco para abraçar a vida de pobreza. Alguns dias depois, Inês, sua irmã, segue-lhe o caminho. Surge a Fraternidade das Pobres Damas, a Segunda Ordem. Aqueles que eram casados ou tinham suas ocupações no mundo e não podiam ser frades ou irmãs religiosas, mas queriam seguir os ideais de Francisco, não ficaram na mão: por volta de 1220, Francisco deu início à Ordem Terceira Secular para homens e mulheres, casados ou não, que continuavam em suas atividades na sociedade, vivendo o Evangelho.

A Ordem Francisca cresceu com o passar dos anos. Em 1219 houve uma grande expansão para a Alemanha, Hungria, Espanha, Marrocos e França. Neste mesmo ano São Francisco vai em missão para o Oriente. Durante sua ausência, vigários modificam algumas regras da Ordem e no mesmo ano de 1219 São Francisco se demite da direção da Ordem.

Com o crescimento da Ordem, quase 5.000 frades em 1221, uma nova regra foi escrita por São Francisco em 29 de novembro de 1223 que foi aprovada pelo papa Honório. É a que vigora até hoje.

Em 1224 no dia 17 de setembro São Francisco recebeu as chagas de Jesus crucificado em seu próprio corpo, este fato ocorreu no Monte Alverne, um dos eremitérios dos frades.

Os últimos escritos de São Francisco são entre 1225 e 1226, dentre eles o Cântico das Criaturas e o Testamento. Nestes mesmos dois anos, Francisco vai a vários lugares da Itália para tratar de suas vistas. Passa por diversas cirurgias. Morre aos 03 de outubro de 1226, num sábado.
Morreu nu aquele que começou a vida de conversão nu na praça de Assis diante do bispo, do pai e amigos. Morreu ouvindo o Evangelho de João, onde se narra a Páscoa do Senhor, aquele que recebeu os primeiros companheiros após ouvir o Evangelho do envio dos apóstolos. Foi sepultado no dia 04 de outubro de 1226, Domingo, na Igreja de São Jorge, na cidade de Assis.

São Francisco de Assis foi canonizado em 1228 por Gregório IX e seu dia é comemorado em 04 de outubro.
Em 25 de maio de 1230 os ossos de São Francisco foram levados da Igreja de São Jorge para a nova Basílica construída para ele, a Basílica de São Francisco, hoje aos cuidados dos Frades Menores Conventuais.

 

Horários

MISSA
  • Matriz | Quinta-feira | 19h30
  • Matriz | Domingo | 9h e 19h
  • Matriz | Honra ao Sagrado Coração de Jesus          1ª Sexta-feira do mês | 19h30
 
ATENDIMENTO
  • Matriz | Terça à sexta-feira | 8h - 12h | 13h30 - 17h
  • Matriz | Sábado | 8h - 11h
  • Matriz | Atendimento do Pároco                       Quinta-feira | 14h30 - 17h30
 

Contato

Telefone: (47) 3437-3221
 
 
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2018 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.