PARÓQUIAS
Paróquia São João Batista - Fátima
 
A Paróquia
Paróquia São João Batista - Fátima

Fundada no ano de 1967, a Paróquia São João Batista, do bairro Fátima, contou com muita ajuda dos fiéis para nascer. A primeira igreja tinha sua estrutura de madeira mas, com o rápido crescimento do bairro, ela se tornou pequena para atender a população. Em 1973 uma nova capela começou a ser construída. Durante esse tempo os fiéis iam às missas em uma sala que hoje tem aulas de catequese. A atual igreja foi erguida em 1980 e está localizada na zona Sul de Joinville/SC. A comunidade só se tornou paróquia em 2 de janeiro de 2000 e, atualmente, conta com duas comunidades: Santa Edwiges e Nossa Senhora da Paz que abrange os bairros Fátima e uma parte do Jarivatuba.

Paróquia Hoje
Atualmente a comunidade se prepara para comemorar seus 50 anos de fundação, em 2017. Para se preparar para o Jubileu, os fiéis têm como meta três anos de preparação. Neste ano, o foco foi a construção do Centro de Pastoral. “É uma construção de grande investimento, porém o povo daqui merecia”, afirma o pároco, Pe. Eduardo da Costa. O Centro vai ganhar um novo auditório e, também, novas salas de catequese. As obras iniciaram em setembro de 2014, depois que conseguiram a regularização do terreno. Para 2016, quando a paróquia completar 49 anos, o projeto para a construção da nova cozinha e também salão de festas será apresentado para a comunidade, para que, em 2017, a revitalização da paróquia aconteça.
De acordo com Pe. Eduardo, vitalidade e dinamismo sempre estiveram presentes na Paróquia São João Batista. “Sempre foi uma igreja que contou com muitas pastorais, lideranças e movimentos. Quem é da região sabe. Graças a Deus temos um povo participativo”, diz. Ainda segundo o pároco, hoje existem 30 pastorais, movimentos ou organismos ativos e três escolas funcionando: lideranças, catequese e São Paulo Apóstolo. Também existe o movimento Rejaaf/Aharay, voltado para a juventude e grupos juvenis como os Leões de Judá que completam neste mês 45 anos. A tradicional festa do padroeiro ocorre em junho e, geralmente, é realizada perto do dia da natividade de João Batista. Nos três dias que antecedem o domingo mais próximo do dia 24 de junho é feito um tríduo, sendo que o sábado e domingo são os dias mais fortes da festa.

O Despertar para as vocações
A Paróquia São João Batista tem uma característica muito forte relacionada às vocações. Muitos padres que hoje estão atuando na diocese saíram da comunidade, entre eles: Pe. Gélio do Nascimento, Pe. Sildo da Costa e Silvano da Costa. Existem vários meninos e meninas da paróquia que decidiram seguir a vida religiosa e estão estudando para isso.
Neste ano, o destaque para as vocações está sendo convidar padres que tiveram seu despertar vocacional na comunidade para celebrar missas e contar um pouco de sua história. “Acho que é um dom de Deus. Por que saem mais vocações da nossa comunidade? Não sabemos explicar, é o chamado de Deus”, analisa Pe. Eduardo.

As comunidades
A Comunidade Nossa Senhora da Paz foi fundada em 1993 e está localizada no bairro Jarivatuba. Tem como característica ajudar as pessoas necessitadas. As pastorais da Família e Social são bem atuantes. Segundo o pároco, a comunidade é pequena, porém acolhedora. “Ela está lá fazendo seu papel que é ser sal da terra e luz do mundo”, diz. Já a Comunidade Santa Edwiges, do bairro Fátima, nasceu em 1997 a pedido de Dom Orlando Brandes para ir ao encontro das famílias mais pobres. “Quem visitou a igreja no ano 2000 e vê ela hoje fica impressionado. Sabendo da dificuldade daquelas famílias e de suas necessidades econômicas e ver o que ela tem hoje. Um Centro de Pastoral que está em construção e um terreno muito amplo”, explica Pe. Eduardo.

Projeto Social da Comunidade Santa Edwiges
O Projeto Cultural e Social Santa Edwiges é coordenado por Delma Tenório de Melo e deseja ir ao encontro de uma parcela da comunidade do bairro Fátima. O projeto, que é uma obra social, tem por objetivo ajudar crianças, idosos, mães e todos que necessitam de alguma ajuda. Aulas de reforço de matemática, português, línguas e oficinas de artesanato, por exemplo, são oferecidas. Uma sala está sendo montada para futuramente, também dar aulas de informática. “A ideia do projeto já havia surgido há dois anos e em 2015 foi dado o ponta pé inicial, tudo está caminhado bem. As aulas ocorrem durante os dias de semana”, conta Pe. Eduardo.

 
O Padroeiro
O Padroeiro

O filho de Isabel e Zacarias era primo de Jesus e a ele coube a missão de anunciar a chegada do Messias. O primeiro encontro com Jesus aconteceu ainda quando Isabel estava grávida e Maria foi visitá-la. Logo que a Virgem saudou a prima, João estremeceu em seu ventre, denotando um gesto de reconhecimento de estar diante do Senhor.

João era um homem austero, que vivia no deserto, vestia peles de camelo e alimentava-se de gafanhotos e mel. Homem de profunda oração, pregava o batismo para a remissão dos pecados e, assim, nas águas do Rio Jordão, batizava seus seguidores aos quais conclamava à conversão. O segundo encontro de Jesus ocorreu justamente quando o Messias procurou o primo para Ele próprio ser batizado. O gesto de humildade do Senhor marcou o início de sua vida pública.

João, porém, pela veemência de sua pregação incomodava os poderosos, sobretudo a corte do rei Herodes à qual o Batista denunciava por suas injustiças e devassidões. Herodes havia se casado com Herodíades, que era mulher do seu irmão e a quem João denunciava por haver abandonado o marido para unir-se ao cunhado. Durante um banquete, Herodíades mandou que sua filha Salomé, que era belíssima, dançasse para o rei. Este, extasiado com a beleza da moça, ofereceu a ela um presente, o qual ela própria poderia escolher. Tendo consultado a mãe, a moça pediu-lhe a cabeça de João Batista em uma bandeja. O rei, que havia dado a sua palavra, não teve outra escolha senão atender-lhe o pedido. E, assim, calou-se a “voz que clamava no deserto”.

A festa de São João é, além do Natal, a única celebração da natividade de um santo. Todas as demais festas são marcadas pela data da morte do santo, considerada a data que este entrou para a glória de Deus. João, por sua importância na história do Messias, recebeu da Igreja a homenagem de ter seu nascimento também comemorado, tal qual Jesus Cristo. Seu martírio é celebrado em 29 de agosto.

 

Horários

MISSA
 
ATENDIMENTO
 

Contato

(47) 3436-3997
 
 
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2018 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.