PARÓQUIAS
Paróquia São José | Corupá
 
A Paróquia
Paróquia São José | Corupá

*Os registros históricos foram retirados do livro “Padre Vicente Schimitz, SCJ” de Giuliano Sávio Berti – 2011.

Localizada na cidade de Corupá/SC, a Paróquia São José foi criada em 14 de janeiro de 1928. A sua história de fundação é ligada ao Seminário Sagrado Coração de Jesus. Os padres do seminário fundaram a Escola Apostólica em Brusque, em 1924. Por ela ter ficado pequena devido à procura por vocações, os padres do Sagrado Coração procuraram um local para a construção de mais um seminário.
Diversas opções de cidades surgiram, mas o terreno ofertado pela comunidade católica de Jaraguá do Sul foi o escolhido. Em troca, Pe. Pedro Storm, SCJ, ofereceu os serviços do Pe. Vicente Schimitz para a comunidade, que já o conhecia, pois no tempo em que era vigário de Jaraguá ele vinha com frequência até a cidade de Hansa - Humbold (Corupá) atender espiritualmente as pessoas.
No dia 19 de março de 1928, Pe. Vicente assumiu os cuidados da então Capela São José que, na época, pertencia à Paróquia Santa Emília, atual Paróquia São Sebastião de Jaraguá do Sul. E em 14 de janeiro de 1935, Dom Pio de Freitas elevou a capela ao título de paróquia passando a ser Matriz.
Ao iniciar os trabalhos paroquiais, Pe. Vicente criou e liderou os seguintes movimentos religiosos: Apostolado da Oração, Congregação Mariana, Pia União das filhas de Maria e Cruzada Eucarística. Além disso, criou o “Coral de Santa Cecília”. Passados dez anos de trabalho pastoral junto a cidade, Pe. Vicente foi transferido para Brusque/SC.
Em 1949, Pe. Vicente retorna a Corupá e percebe que o espaço físico da Matriz era pequeno. Então resolve convocar uma reunião com a comunidade para construir uma nova igreja. A população concordou e a nova igreja foi construída, não mais na Av. Getúlio Vargas, mas em uma lateral. Além da falta de espaço, outro motivo que fez Pe. Vicente fazer uma nova construção foi porque em frente à antiga havia um bar e os barulhos atrapalhavam a concentração das pessoas durante as missas. A benção da pedra fundamental da nova Matriz foi realizada no dia 4 de maio de 1952 por Dom Pio de Freitas.
Em 1965, padre Vicente, com quase 80 anos, se despediu da cidade de Corupá e voltou para a Alemanha, seu país de origem. No dia 15 de maio de 1971, ele morreu na cidade de Leienkaul. Hoje a rua da paróquia carrega o nome dele como uma homenagem.

Paróquia hoje

Atualmente, a paróquia possui sete comunidades. Ao todo são 20 pastorais, movimentos e organismos que atuam na paróquia. Entre eles estão: Grupos Bíblicos de Reflexão, Catequese, Pastoral do Dízimo, Apostolado da Oração, Oficina de Oração e Vida, Pastoral Litúrgica, Consolação e Esperança, Juventude, Encontro de Casais com Cristo, Ministros, Pastoral Familiar, entre outras.
A paróquia está passando por algumas reformas, ganhou novos pisos, pintura, vitrais e janelas novas, ar-condicionado e um novo altar que foi feito na Tchecoslováquia. Na parte externa ainda faltam alguns ajustes como a pintura e o estacionamento, que vai ser asfaltado. Tudo isso está acontecendo graças à comunidade que está contribuindo com a reforma.

Proefa - Projeto de Evangelização Familiar

Durante dois anos, mensalmente, os grupos saiam às ruas para evangelizar famílias. Em cada um dos dez grupos, um casal da Pastoral Familiar estava presente. As evangelizações aconteciam nas ruas e nas casas da população com o intuito de levar a Igreja até o povo. O Proefa foi divido em nove temas que abrangiam toda a família. Quem participasse de todos os encontros recebia um certificado de participação que valia para o curso de pais e padrinhos.
Segundo Pe. João, este ano eles estão estudando um novo livro com temas de interesse da comunidade. “Eu vou assumir um tema, o outro padre assume outro e os leigos e os casais também, cada um com um tema. Vamos fazer formação durante um mês e meio todas as terças-feiras nas comunidades ou nas casas das pessoas. Quem vai escolher os temas será o povo, a comunidade”, diz.

 
O Padroeiro
O Padroeiro

Do esposo de Maria sabemos somente aquilo que nos dizem os evangelistas Mateus e Lucas, mas é o que basta para colocar esse incomparável "homem justo" na mais alta cátedra de santidade e de nossa devoção, logo abaixo da Mãe de Jesus.

Venerado desde os primeiros séculos no Oriente, seu culto se difundiu no Ocidente somente no século IX, mas num crescendo não igual ao de outros santos. Em 1621, Gregório XV declarou de preceito a festa litúrgica deste dia; Pio IX elegeu são José padroeiro da Igreja, e os papas sucessivos o enriqueceram de outros títulos, instituindo uma segunda comemoração no dia 1º de maio, ligada a seu modesto e nobre ofício de artesão.

O privilégio de ser pai adotivo do Messias constitui o título mais alto concedido a um homem.
O extraordinário evento da Anunciação e da divina maternidade de Maria - da qual foi advertido pelo anjo depois da sofrida decisão de repudiar a esposa - coloca são José sob uma luz de simpatia humana, em razão do papel de devoto defensor da incolumidade da Virgem Mãe, mistério prenunciado pelos profetas, mas acima da inteligência humana.

Resolvido o angustiante dilema, José não se questiona. Cumpre as prescrições da lei: dirige-se a Belém para o recenseamento, assiste Maria no parto, acolhe os pastores e os reis Magos com útil disponibilidade, conduz a salvo Maria e o Menino para subtraí-lo do sanguinário Herodes, depois volta à laboriosa quietude da casinha de Nazaré, partilhando alegrias e dores comuns a todos os pais de família que deviam ganhar o pão com o suor de sua fronte. Nós o revemos na ansiosa procura de Jesus, que ele conduz ao templo por ter cumprido os 12 anos de idade.

Enfim, o Evangelho se despede dele com uma imagem rica de significado, que coloca mais de um tema para nossa reflexão: Jesus, o filho de Deus, o Messias esperado, obedece a ele e a Maria, crescendo em sabedoria, idade e graça.


Retirado do livro: 'Os Santos e os Beatos da Igreja do Ocidente e do Oriente', Paulinas Editora.

 

Horários

MISSA
  • Matriz | Missa da Saúde | Quarta-feira | 15h
  • Matriz | Honra ao Sagrado Coração de Jesus             1ª Sexta-feira do mês | 18h30
  • Matriz | Sábado | 19h
  • Matriz | Domingo | 8h
 
ATENDIMENTO
  • Matriz | Segunda à Sexta-feira | 7h30 às 11h30 - 13h30 às 17h
  • Matriz | Sábado | 8h - 10h
 

Contato

(47) 3375-1166
 
 
 
 
  • Rua Jaguaruna, 147 - Centro - Joinville/SC

  • 47 3451-3700

  • midiasocial@diocesejoinville.com.br

  • Acessar o Webmail

  • Copyright © 2018 Diocese de Joinville. Todos os direitos reservados.